Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Boas Vindas!

   Os acadêmicos do Curso de Matemática Licenciatura, Cassia Lutiane Moraes Goulart, Jonas Campiol, Aline da Silveira e Estela Voght, da Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC são os desenvolvedores desse blog, que tem como enfoque principal a "Lixeira Pitagórica". Temos como finalidade reconhecer as necessidades cotidianas de se fazer a separação dos rejeitos oriundos do cotidiano familiar, empresarial, escolar ou hospitalar e unindo a essas necessidades propomos uma forma de organização desses rejeitos utilizando uma lixeira que se adéque as variáveis físicas, baseada no teorema de Pitágoras.
  • Cassia Lutiane Moraes Goulart
  • Aline da Silveira
  • Jonas Campiol
  • Estela Voght

quinta-feira, 19 de maio de 2011

INVESTIGAÇÃO

    “Separar o que podemos reaproveitar através da reciclagem, é uma atitude de quem se preocupa com o futuro”. Diante dessa frase é que partimos para nossa investigação.

    O inicio do trabalho deu-se com uma analise das viabilidades, vantagens e desvantagens de se produzir uma “Lixeira Pitagórica” em relação as lixeiras comuns. Foi possível verificar que a produção em si da “Lixeira Pitagórica” possui custo que dependendo da escala de produção, e da mão de obra do fabricante se torna viável.

TEMA

Lixeira Pitagórica - uma nova maneira de educar em separar o lixo.

Veja algumas imagens da "Lixeira Pitagórica":


quarta-feira, 18 de maio de 2011

DESCRIÇÃO

     Apresentar a lixeira diante as adversidades do cotidiano, como ferramenta na seleção de materiais provenientes do consumo humano.

terça-feira, 17 de maio de 2011

JUSTIFICATIVA

No início dos tempos, os primeiros homens eram nômades. Moravam em cavernas, sobreviviam da caça e pesca, vestiam-se de peles e formavam uma população minoritária sobre a terra. Quando a comida começava a ficar escassa, eles se mudavam para outra região e os seus "lixos", deixados sobre o meio ambiente, eram logo decompostos pela ação do tempo.
À medida em que foi "civilizando-se" o homem passou a produzir peças para promover seu conforto: vasilhames de cerâmica, instrumentos para o plantio, roupas mais apropriadas. Começou também a desenvolver hábitos como construção de moradias, criação de animais, cultivo de alimentos, além de se fixar de forma permanente em um local. A produção de lixo consequentemente foi aumentando, mas ainda não havia se constituído em um problema mundial.
Naturalmente, esse desenvolvimento foi se acentuando com o passar dos anos. A população humana foi aumentando e, com o advento da revolução industrial - que possibilitou um salto na produção em série de bens de consumo - a problemática da geração e descarte de lixo teve um grande impulso. Porém, esse fato não causou nenhuma preocupação maior: o que estava em alta era o desenvolvimento e não suas consequências.
Entretanto, a partir da segunda metade do século XX iniciou-se uma reviravolta. A humanidade passou a preocupar-se com o planeta onde vive. Mas não foi por acaso: fatos como o buraco na camada de ozônio e o aquecimento global da Terra despertaram a população mundial sobre o que estava acontecendo com o meio ambiente. Nesse "despertar", a questão da geração e destinação final do lixo foi percebida, mas, infelizmente, até hoje não vem sendo encarada com a urgência necessária.
"O lado trágico dessa história é que o lixo é um indicador curioso de desenvolvimento de uma nação. Quanto mais pujante for a economia, mais sujeira o país irá produzir. Ë o sinal de que o país está crescendo, de que as pessoas estão consumindo mais. O problema está ganhando uma dimensão perigosa por causa da mudança no perfil do lixo. Na metade do século, a composição do lixo era predominantemente de matéria orgânica, de restos de comida. Com o avanço da tecnologia, materiais como plásticos, isopores, pilhas, baterias de celular e lâmpadas são presença cada vez mais constante na coleta. Há cinquenta anos, os bebes utilizavam fraldas de pano, que não eram jogadas fora. Tomavam sopa feita em casa e bebiam leite mantido em garrafas reutilizáveis. Hoje, os bebês usam fralda descartáveis, tomam sopa em potinhos que são jogados fora e bebem leite embalado em tetrapak. Ao final de uma semana de vida, o lixo que eles produzem equivale, em volume, a quatro vezes o seu tamanho.

http://www.ufmg.br/proex/geresol/lixohistoria.htm

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Como eu separo meu lixo?

Ao jogar seu lixo na lixeira, quantas não pararam para pensar: em qual deles que eu coloco?


 Algumas dicas de como separar seu lixo:



domingo, 15 de maio de 2011

Mas a lata de lixo não é um desintegrador mágico de matéria!

    O lixo continua existindo depois que o jogamos na lixeira. Não há como não produzir lixo, mas podemos diminuir essa produção. Como? Reduzindo o desperdício, reutilizando sempre que possível e separando os materiais recicláveis para a coleta seletiva. Tem coisas que a gente só não faz por não saber como. É importante conhecer o processo e as regras quando queremos fazer a diferença.

    O tempo que a natureza leva para decompor alguns dos produtos:

sábado, 14 de maio de 2011

Catadores de Materiais Recicláveis

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico realizada pelo IBGE em 2000, coleta-se no Brasil diariamente 125,281 mil toneladas de resíduos domiciliares, e 52,8% dos municípios Brasileiros dispõem seus resíduos em lixões.

Hoje estima-se que 1 em cada 1000 brasileiros é catador. E 3 em cada 10 catadores gostariam de continuar na cadeia produtiva da reciclagem mesmo que tivessem uma alternativa. Estes têm orgulho de ser Catador.

Há Catadores de todo tipo:
·  Trecheiros: que vivem no trecho entre uma cidade e outra, catam lata pra comprar comida.
·  Catadores do lixão: catam diuturnamente, fazem seu horário, catam há muito tempo ou só quando estão sem serviço de obra, pintura etc.
·  Catadores individuais: catam por si, preferem trabalhar independentes, puxam carrinhos muitas vezes emprestados pelo comprador que é o sucateiro ou deposista.
·  Catadores organizados: em grupos autogestionários onde todos são dono do empreendimento, legalizados ou em fase de legalização como cooperativas, associações, ONGs ou OSCIPs.
Um dos maiores problemas do lixo é que grande parte das pessoas pensa que basta jogar o lixo na lata e o problema da sujeira vai estar resolvido. Nada disso. O problema só começa aí.
A ideia é construirmos um mundo melhor, cremos que um futuro melhor seja o resultado de um presente mais responsável, ou seja, individualmente responsável. Com isso, identificamos a necessidade de criar uma lixeira flexível e adaptável ao ambiente que ocupa, tornando assim, a seleção dos resíduos, de maneira mais pratica e coerente às situações cotidianas.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Pitágoras

Pitágoras, matemático, filósofo, profeta nasceu na ilha de Samos, na Grécia, no século VI a.C. Existem muitos pontos obscuros sobre a sua história, mas, segundo alguns relatam, ele teria viajado pelo Egito e Babilônia, período durante o qual assimilou informações sobre Matemática e Astronomia, juntamente com várias ideias religiosas. Após retornar à Grécia fundou a Escola Pitagórica.
É atribuída a ele a elaboração da primeira demonstração geral de uma propriedade muito especial presente num tipo de triângulos também especial – o triângulo retângulo, que contém um ângulo de 90º. “O quadrado da hipotenusa é igual à soma dos quadrados das medidas dos catetos”, tanto é que hoje tal propriedade é conhecida como “Teorema de Pitágoras” que foi a inspiração da idéia de criar uma lixeira.
Mas existem documentos históricos demonstrando que casos particulares desse teorema já eram do conhecimento dos egípcios e babilônios muito antes dos gregos.
O momento não é de aprofundamento das diversas possibilidades do Teorema de Pitágoras, e sim, de passar uma compreensão do seu conceito básico, de modo a aplicá-lo também em situações mais complexas.
Em um triângulo retângulo, o quadrado construído sobre a hipotenusa é igual à soma dos quadrados construídos sobre cada um dos catetos.
A maneira tradicional de apresentar este Teorema é sob uma ótica algébrica. Neste pequeno estudo tentaremos, para facilitar a compreensão, apresentar também uma demonstração baseada no conceito de áreas.

Então, podemos representar este teorema com a seguinte expressão algébrica:

Vejamos uma representação gráfica, com os respectivos nomes de cada lado de um triângulo retângulo:


Como vemos nas figuras acima, Catetos são os dois lados (lados menores do triângulo) que forma um ângulo de 90º, enquanto a Hipotenusa (lado maior) é o lado oposto a esse mesmo ângulo, e que liga as duas extremidades dos catetos.
Mas vejamos um exemplo usando áreas, para facilitar ainda mais:

O triângulo retângulo a baixo é formado pela hipotenusa (a) que mede 10 cm, um cateto (b) que mede 6 cm e um cateto (c) que mede 8 cm.




Logo a baixo, fizemos uma área quadrada de cada um dos lados do triângulo. Ao formarmos um quadrado (quatro lados iguais), e subdividi-lo em quadrados com 1 cm, teremos então as seguintes áreas:

Hipotenusa(a): 5 x 5 = 25
Cateto (b): 3 x 3 = 9

Então podemos perceber que, ao somamos o resultado do quadrado do cateto b, 9, com o resultado do cateto c, 16, encontramos 25, que é exatamente igual ao quadrado da hipotenusa.
Tal equação pode ser representada por:
52 = 32 + 42, ou seja, 25 = 9 + 16.


Vídeo Teorema de Pitágoras



video


quinta-feira, 12 de maio de 2011

Curiosidade

O que são números pitagóricos?

Três números inteiros positivos, a, b e c, são chamados de pitagóricos, se satisfazem a relação:
a2 = b2 + c2

Exemplo:


E se você quiser ver outras curiosidades de Matemática visite o blog http://giga-mat.blogspote.com/



quarta-feira, 11 de maio de 2011

Interessante

Pergaminho de Chou Pei

    O primeiro documento matemático desse povo data de aproximadamente mil anos a.C. Chou Pei Suang Shing (Calendário das Horas Solares), um pergaminho de dois metros e trinta que aborda diversos assuntos científicos sob a forma de diálogos entre o imperador e um de seus ministros. O autor, desconhecido, inicia sua obra afirmando ser o quadrado o símbolo da Terra, e o círculo, do céu. Em seguida apresenta a primeira demonstração Geométrica que conhecemos do Teorema de Pitágoras, o qual chama de hsuang-thu e às vezes de chi-chu (agrupamento de quadrados).



“... o quadrado formado pelo lado maior (hipotenusa) do triângulo a, b, c é constituído de quatro triângulos e um quadradinho (quadrado de lado unitário). Somando os quatro triângulos, dois a dois, encontram-se mais doze quadradinhos, que somados com o quadradinho central, resulta 25”.

Esse diagrama do Chou Pei Suang, que demonstra a identidade 32 + 42 = 52, é uma raridade, pois os chineses dessa época, ao que tudo indica, não se interessavam pela geometria. Desse documento conclui-se também que o conhecimento de então era tutelado pelo imperador. É flagrante a preocupação do autor em agradá-lo, o que se depreende especialmente nos números usados como exemplos: foram tirados das medidas dos corpos dos familiares do imperador.

Outro fato curioso do pergaminho são os temas aos quais aplicavam a Matemática: idades, censo populacional, colheitas, astrologia, medidas de áreas e volumes, impostos e construção civil.

Abaixo transcrevemos um fragmento dessa obra:

“... caro imperador que brilha mais que o sol. Uma família, não muito numerosa, pode sobreviver durante uma semana com um tou (1 tou = 10,31 litros) de arroz. Essa deve cuidar de um campo quadrado cujo lado mede a quinta parte de li (1 li = 640 m). Será cobrado para o imperador, como imposto que engrandecera sua fortuna, a décima parte de tudo o que se produzir na área...”
Vídeo de Aula de Matemática & Música.


Vídeo concedido pela Professora Glaucia Cabral Moraes.

terça-feira, 10 de maio de 2011

O livro de Chui Chang

A obra mais importante da história científica chinesa é sem dúvida o famoso e polêmico Chiu Chang Suan Shu (A Matemática em Nove Capítulos) de Chuan Tsanom (200 a.C.), que traz 246 problemas resolvidos, onde destacamos trechos do nono capítulo.

·        Nono capítulo
Problemas de quadrados

Um capítulo inteiro sobre o conhecidíssimo teorema de Pitágoras:


Aplica-se x2 + y2 = z2 a números relacionados com profundidades de lagos, bambus quebrados, sombra de árvores, enfim, exercícios de triângulos e retângulos.

“Um bambu de comprimento 16 é colocado em pé e quebrado a 6 unidades de altura. Sua ponta tocará o chão a que distância?

segunda-feira, 9 de maio de 2011

CONCLUSÃO

    "A autoestima do aluno é maior com o trabalho concreto do que apenas com o aprendizado por meio de livros didáticos. A interação entre os alunos e a motivação para estudar matemática também aumentou". (Marchiori). Ensinar matemática e reciclar lixo, agora aliados mediante a lixeira, ela possibilita uma visão de preservação ambiental e de verificação de conceitos matemáticos, motivando assim alunos e não alunos para que possam construir uma nova visão a respeito da matemática e de questões ambientais.

domingo, 8 de maio de 2011

REFERÊNCIAS

MEDRANO, Roberto J. Pitágoras e seus Versos Dourados. Câmara Brasileira do Livro, São Paulo, 1ª Edição - 1993.

MATTÉI, Jean-François. Pitágoras e os Pitgóricos. Editora Paulus, São Paulo, 2000.

LINTZ, Rubens G.. História da Matemática. V. 1. Editora FURB, Blumenau-SC, 1999.

EVES, Howard. Tópicos de História da Matemática para uso em sala de aula: Geometria. Atual Editora, São Paulo-SP, 1992.

KLÍMA, Ivan. Amor e lixo. Tradução de Eduardo Francisco Alves. Best Bolso, Rio de Janeiro-RJ, 2007.

JOANIDES, Hiroito de Moraes. Boca do Lixo. Labortexto, São Paulo, 2003.

GRIPPI, Sidney. Lixo: reciclagem e sua história : guia para as prefeituras brasileiras. Interciência, Rio de Janeiro, 2001.

LEBAILLY, Vanessa. Material reciclado. Ed. Nacional, São Paulo, 2005.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Teorema_de_Pit%C3%A1goras

http://www.colegiocatanduvas.com.br/desgeo/teopitago/index.htm

http://giga-mat.blogspot.com/

sábado, 30 de abril de 2011